Abertura de Capital da Caixa Econômica e Mentiras Eleitorais: A Nova Era Política Brasileira

De todas as coisas que Dilma imputou a Aécio durante a campanha, a que pesou mais foi a alcunha de “candidato das elites”. Dizendo que o tucano privatizaria os bancos públicos, que plantava inflação pra colher juros, que fazia política para banqueiros, que penalizaria os trabalhadores, etc. O marketeiro João Santana é tão bom que fez a presidente acreditar em todas as mentiras que inventou. Ela, aliás, está fazendo exatamente TUDO o que disse que o adversário faria, e tá piorando o que já estava muito ruim.

Ao abrir o capital da Caixa Econômica, Dilma feriu de morte toda a imagem que havia sustentado durante o pleito e só a paixão cega da militância para defendê-la. Há apenas 2 meses, Dilma e o PT fizeram um discurso de “defesa” e “fortalecimento” dos bancos públicos (chegando a citar BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) e usaram as privatizações – medidas totalmente impopulares – durante a gestão tucana para crescer eleitoralmente em cima do temor do desmonte das estatais caso Aécio vencesse.

Contudo, o mundo encantado demonstrado durante a campanha eleitoral não existe. A inflação não está controlada, a carga tributária vai continuar aumentando e agora a presidente reeleita precisa combater a recessão econômica sem deixar de atender aos interesses dos financiadores de sua campanha. Que desafio! Primeiro a Petrobras e depois o país sofrendo com a incompetência e teimosia da economista que não entende nada de economia.